Museu de Arqueologia da cidade de Pilões/PB


Durante ato público na última terça-feira (24/09/2013) foi dado mais um passo para a consolidação do Museu de Arqueologia de Pilões, na Paraíba. O museu será fruto do esforço coletivo da comunidade e prefeitura local, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) e Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf).

Nessa ocasião, foram entregues à Chesf, responsável pela execução das obras, os projetos para a implantação do museu. Com a colaboração ativa da comunidade, as entidades envolvidas elaboraram, desde 2009,  o projeto do novo museu, que será o primeiro da cidade e primeiro com esse tipo de acervo no estado.

O Ibram/MinC  apoia essa iniciativa, auxiliando na elaboração do Plano Museológico do museu, previsto no Estatuto dos Museus (Lei nº 11.904/2009). Acompanhando, também, os trabalhos arqueológicos, audiências públicas e grupos de trabalho que resultaram nessa nova instituição museológica.

História

Foi localizado na área rural município de Pilões (PB), em setembro de 2009, um importante sítio arqueológico em terrenos pertencentes às empresas geradoras e transmissoras de energia elétrica Energisa Paraíba S.A. e Chesf. Estudos arqueológicos constataram que se tratava de um cemitério indígena da tradição Aratú. As amostras analisadas indicaram um período histórico entre os anos de 1190 e 1682 (em que o território pode ter sido ocupado continuamente, ou esporadicamente por tribos indígenas).

A descoberta provocou grande comoção na população local, que solicitou a permanência do acervo na comunidade. A prefeitura municipal de Pilões procurou o IPHAN e disponibilizou o prédio, onde funcionava anteriormente o Mercado Público, para a criação de um museu.

Quatro audiências públicas foram realizadas no município para apresentação da pesquisa arqueológica e do Projeto do Museu de Arqueologia de Pilões, sendo nessas ocasiões aberta a qualquer cidadão a possibilidade de integrar o Grupo de Trabalho para planejar a criação do Museu – que já contava com representantes do IPHAN, Chesf, Energisa e Ibram/MinC . O resultado foi a definição do Plano Museológico, o que determina como finalidade maior do Museu de Arqueologia de Pilões a preservação da pré-história do homem da região do brejo paraibano, e promoção do espaço que representa hoje referência para a arqueologia nacional.